5 razões para ler… Neil Gaiman

neil-gaimanNeil Gaiman (1960-) é um escritor inglês mundialmente famoso, autor de livros como Deuses Americanos e da renomada HQ Sandman, uma mescla de mitologia com fantasia sombria. Entre suas obras estão “Deuses Americanos”, “Os Filhos de Anansi” e “Belas Maldições”, esta última escrita em parceria com Terry Pratchett. Também escreveu livros infantis e roteiros para o cinema e para uma mini-série de televisão – Lugar Nenhum (Neverwhere) exibida pela BBC -, depois transformada em livro. A 21 listou cinco razões para você correr atrás das obras dele. Vamos conferir?

1. Ele é o autor de Sandman. Sim, aquele cara também conhecido como Sonho, Morpheus, Devaneio, Oneiros, (Lorde) Moldador, Kai’Ckul e vários outros nomes em línguas já esquecidas, que é o governante do Sonhar e tem uma irmã mais velha super descolada – que é ninguém mais ninguém menos que a Morte (Death). Nem preciso explicar mais, preciso? Neil criou todo um mundo incrível repleto de histórias fantásticas e personagens fascinantes, como o(a?) andrógino Desejo (Desire) e a fofa da Delírio (Delirium).  São milhares de fãs da série pelo mundo, totalmente apaixonados pela HQ e capazes de quase-qualquer-coisa pela possibilidade de ler mais algumas páginas inéditas.

sandman-death

Sandman e sua irmã, Death

2. Ele te faz querer ler até livro infantil. Sabe aquele autor que você leria até a lista de compras de supermercado dele, só porque ele a redigiu? Pois é. Não importa o que Gaiman escreva. Seja hq, graphic novel, livros adultos ou infantis – como “The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish” (O dia em que troquei meu pai por dois peixinhos dourados) e “The Wolves in the Walls” (Os Lobos dentro das Paredes)… Você vai querer ler do mesmo jeito. E nunca vai se decepcionar de ter lido. Sério.

3. Criatividade sem fim: ele sempre vai conseguir te surpreender de algum modo com os livros. O cara é um poço de criatividade. É uma Londres que existe debaixo da Londres real; é uma garotinha que entra num mundo onde todo mundo tem olhos de botões; é uma criança que vive invisível num cemitério; é um menino que troca o pai por dois peixinhos dourados; é um cara que descobre ser filho do deus-aranha; é a ex-serpente e um anjo apaixonado por livros que tentam impedir o fim do mundo… Aparentemente, boas ideias é que não faltam a esse autor britânico. Graças a Deus.

4. Tem um jeito só seu de escrever, que é complexo, surpreendente, envolvente, divertido, com diálogos incríveis e um bom uso de ironias e sarcasmo. Ele prende você até o fim do livro, e mesmo inserindo muitos personagens numa mesma história, não te deixa confuso, nem te faz perder o ritmo de leitura. A trama pode até ser mediana, mas a maneira como ele a conta, faz qualquer obra sua valer a pena.

5. Ele é cativante, engraçado e divertido: não bastasse ser super criativo, ele ainda é um amor de pessoa. Sério, desses que você quer levar pra casa. Já viram o discurso que ele deu para os formandos da University of the Arts, na Filadelfia, Estados Unidos, no início de 2012? Se não, confira abaixo legendado. É tão incrível, que o renomado designer Chip Kidd decidiu ilustrar o discurso em um livro, intitulado Fantastic Mistakes. Já um fã australiano, Gavin Aung Than, ilustrou em quadrinho uma parte do discurso – você pode conferir aqui.

Gabriela Couth, do Pudding, criou um wallpaper adorável com um pequeno texto que Gaiman postou na virada deste ano no facebook. Para fazer download com várias opções de resolução, clique aqui.

neilgaiman13prev_zpseab58691

“Eu espero que nesse ano, você erre.

Porque se você está errando, significa que você está fazendo algo de novo, tentando coisas novas, aprendendo, se levando ao limite, desafiando a si mesmo, mudando o mundo. Você está fazendo coisas que nunca fez antes, e o mais importante, você está fazendo ALGO.

Então esse é o meu desejo para você, e para todos nós, e meu desejo para mim. Faça novos erros. Faça gloriosos, incríveis erros. Faça erros que ninguém fez antes. Não congele, não pare, não se preocupe se não está bom o suficiente, ou se não está perfeito, o que quer que seja: arte, ou amor, ou trabalho, ou família, ou vida.

O que quer que seja que você tem medo de fazer, faça.

Cometa seus erros, ano que vem e para sempre.”

Neil Gaiman


Author: Mayara

Uma jornalista pernambucana que ama ler, ouvir música, escrever e sonhar. Queria ter nascido como Audrey Hepburn e sonha em roubar o marido da Amanda Palmer ou encontrar um escocês JAMMF pra chamar de seu.

Share This Post On

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>