O que fazer quando você está sobrecarregado

0

A carga tá um pouco pesada, não tá?

Não importa a nossa idade: todo mundo já passou por um momento em que tinha no prato muito mais do que estava habilitado a lidar. Seja porque recebeu uma promoção no trabalho, começou um novo projeto ou mesmo porque foi deixado na mão por alguém, a sobrecarga esta lá, cheia de (des)amor pra dar.

E não interessa quantas vezes já tenhamos passado por essa situação, nunca deixamos de ficar em pânico. Essa que vos escreve passou por alguns momentos, nas últimas semanas, em que quase chorou de tanto nervoso que estava com a quantidade absurda de coisas com as quais precisava lidar ao mesmo tempo. E, por isso mesmo, estou aqui para dividir o conhecimento adquirido nessa área. Então, dê um tempo no ataque de nervos e separe estes minutinhos para ler esta matéria que pode te ajudar MUITO a terminar o ano com o coração dentro do peito – e não fugindo pela boca.

  1. Primeiro, analise sua situação. Você vai ficar sobrecarregado por muito tempo? Qual é a causa da sua sobrecarga? É algo que vai acabar logo ou é algo que promete consumir bastante tempo? A situação que causou esse problema é algo que você quer ou precisa, realmente, fazer ou é algo que você pode deixar pra lá? Se for o último caso, dispense. Stress envelhece, tira o sono, engorda e acaba com a sua qualidade de vida.
  2. Não entre em pânico. Parece óbvio, analisando os pontos friamente, que perder as estribeiras não adianta de nada. Mas não é tão simples assim manter a frieza quando chegam zilhões de e-mails para você pedindo coisas para agora-neste-exato-minuto como se você fosse um polvo e não um ser humano não-mutante, com apenas duas mãos e um cérebro. Entretanto, é importante que você a mantenha. A frieza, quero dizer. Não adianta de nada chorar, se estressar, gritar com a primeira pessoa que se atrever a te dar bom dia. Ao invés disso, quando se sentir como se fosse explodir, levante e vá tomar um ar. Beba água. Faça um chá de camomila. Tome uma ducha longa, de água fria. Qualquer coisa que te faça relaxar. E arranje um cartaz que, a exemplo d’O Guia do Mochileiro das Galáxias, diga (em letras garrafais e amigáveis): NÃO ENTRE EM PÂNICO.
  3. Faça uma lista. É, acredito piamente que há poucas coisas na vida que não são resolvidas – ou simplificadas – pelo uso de uma lista. Nesse caso, a lista entra para nos dar uma visão geral do que precisamos executar. Afinal, muitas vezes são TANTAS coisas para fazer que sequer sabemos por onde começar ou no que focar  primeiro – além de, claro, corrermos o risco de esquecer algo, por causa da quantidade enorme de coisas e do nosso natural estresse. Listar tudo o que você precisa fazer, mesmo que pareça aterrador a princípio, vai te ajudar a manter a calma e your head in the game, para citar os WildCats (sim, assisti High School Musical, me processem).
  4. Priorize o que é mais importante. Mesmo que as tarefas pareçam ter a mesma importância, elas não têm.  Avalie os problemas que atrasar uma ou outra te trará e priorize-as baseado nisso.
  5. Aceite que não dará pra fazer tudo. Claro que queremos ser super-heróis e fazer o impossível. Mas, por mais que você queira, não dá pra terminar um capítulo do TCC e estar na festinha de sexta com os amigos. Ou ajudar sua mãe com a louça quando você precisa resolver uma crise no trabalho. Prioridades são prioridades e elas servem justamente para definir isso: o que é emergência e o que pode ser postergado. Não se sinta mal, não se culpe. Todos já passaram por isso em algum momento e, se não passaram – bem, o que é que eles fazem mesmo da vida?
  6. Peça ajuda. Se você pode ter alguma ajuda, aceite. Algumas pessoas tem o pensamento de que ninguém fará o seu trabalho tão bem quanto ela mesma (oi!). E, algumas vezes, isso pode até ser verdade. Mas, pense comigo: situações desesperadoras pedem medidas desesperadas. Então, se você tem como conseguir ajuda, aceite-a de bom grado e sem resmungos. Como já comentamos, você é só um, sabe?
  7. Baixe seus padrões. Sim, é uma coisa horrível de se fazer. Mas não existe esse negócio de ser multitarefa. Temos apenas um cérebro e duas mãos, gente. E se há muita coisa a fazer, você terá que aceitar que, talvez, todas as suas tarefas não saiam com o seu selo de excelência. Não se preocupe, porque as outras pessoas entenderão, se você contar da sua situação para elas. É normal, embora não muito satisfatório.
  8. Abra mão. Por fim, creio que, se a situação de sobrecarga mostrar que veio pra ficar, talvez seja melhor você abrir mão do que quer que a esteja causando. Viver sem ter tempo nem para respirar é péssimo e não faz bem a ninguém. Seja o que for, eu duvido muito que valha todas as noites de sono que você perdeu. Pese bem e veja se isto paga a sua paz de espírito.

 

Imagem por: Alain Delorme


Share.

About Author

22 anos, taurina com ascendente em leão e lua em escorpião. Deve, não nega – e paga quando puder. Escreve e lê desde pequena. Fotografa desde grande. É apaixonada por folhas em branco, fotos antigas e livros com capas bonitas. Tem um xodó por sua câmera fotográfica, que não é uma DSLR, mas é limpinha. Sonha com uma casa aconchegante e bonita, para chamar de lar com @uerlei. É feliz, mesmo tendo ataques de TPM mensais que duram metade do mês.

Leave A Reply