10 Coisas que podem ser feitas para desacelerar

Por Eliezer Bradiones

Não é incomum ouvirmos pessoas a nossa volta dizerem que não tem tempo. Quase todas as pessoas que eu conheço (inclusive eu) já disseram ou pelo menos chegaram a conclusão que o tempo é moeda rara. “… minha nossa já estamos em Dezembro…”, “… meu Deus, o meu aniversário foi esses dias…”, “… credo hoje já é Sexta-Feira…”, “… o ano passou rápido demais…”. Essas frases são comuns em nossos dias, já que a impressão que fica é que nem bem o ano começou, nem bem entramos para a faculdade e etc., elas já terminam. Conversando com pessoas mais velhas, que também tem essa sensação, ouvi de algumas delas que antigamente, e quando digo antigamente falo de Mil Novecentos e lá vai, o ano demorava passar, que levava um tempo absurdo para o Natal chegar, e mais tempo ainda para que o próximo aniversário se aproximasse. É obvio não havia tanta coisa pra ser feita naquele tempo, mas para diminuir essa angustia de sentir a vida escorrendo pelos dedos recorro a eles na elaboração dessa lista e espero que ela te ajude a sentir uma desacelerada no seu tempo que é tão corrido.

1- Desligue-se

 Pelo menos uma vez por semana, uma semana por mês, um mês por ano, um ano por década, não importa o período, desligue seu smartphone, seu tablet, seu notebook, o modem da internet, a TV, qualquer coisa que te coloque on-line. Já parou pra perceber quantas horas perdemos navegando na rede. Parecemos uma casquinha de amendoim no meio de um dilúvio, a todo o momento postamos fotos, curtimos, dizemos onde estamos, comentamos, compramos, vendemos e cobiçamos e no fim do dia somos os mesmos, a diferença é que vimos mais fotos, mais comentários. Saber das atividades triviais de todos os seus amigos e amigas não te ajuda em nada a conhecê-los de fato. Aquele tempo em que você passava on-line agora terá de ser usado de outra forma. No começo pode ser complicado resistir à tentação e superar a angustia de não estar conectado, mas é por isso que temos o passo numero dois.

 2- Dedique-se a uma atividade Manual

 Faça um bolo, não daqueles de massa pronta, mas daqueles que as nossas avós faziam. Batendo a massa no braço e não no liquidificador. Faça pão caseiro com o seu irmão, sua irmã, sua mãe, conecte-se com eles. Desenhe alguma coisa, você só precisa de lápis, borracha e papel. Arrume a casa. Limpe cada canto, cada móvel, cada gaveta. Faça um brinquedo, um prendedor de cabelo, uma lâmpada japonesa. Pense em algo que envolva a criação com as mãos. Pode lhe custar algumas gotas de suor, mas a sensação de tempo desacelerado pode começar a lhe rodear.

 3- Esqueça o relógio

Este devia ser o numero um, mas tudo bem. Cubra, tire as pilhas, guarde ou se você for meio fascista, jogue fora todos os relógios que você tem em casa. Tente adivinhar a hora pela posição do sol. Se o dia estiver chuvoso já era, mas pra que a gente tem de saber as horas a todo o momento? O relógio foi uma grande invenção, pois nos permitiu organizar melhor o tempo, para podermos honrar nossos compromissos, e estarmos na hora certa e no lugar certo. Entretanto ele é o dedo do tempo em nossa direção, dizendo que estamos sempre atrasados, que perdemos tempo, que o ano passou e não logramos nada. Portanto esqueça-o nesse tempo.

4- Leia um bom livro

 Um bom livro traz a sensação de que o tempo foi bem aproveitado enquanto estávamos lendo-o, entretanto dê preferência para os de não ficção. Amo ficção, porém preciso do choque de realidade que os livros de não ficção, nos fornecem. Leia um livro grande, um daqueles que precisam de duas pessoas para carrega-lo. Vá numa livraria compre um livro e passe o dia lá. Leia a biografia do Ghandi, da Madre Tereza de Calcutá, do Martin Luther King Jr. Uma boa recomendação é o recentemente lançado Fernando Pessoa e Ofélia Queiróz Correspondência Amorosa Completa. Esse é grande, vai demorar um tempão pra ler, mas com certeza será de grande proveito. O que estamos fazendo aqui é expulsar a angustia do tempo perdido. Pra isso um livro e uma bebida quente são um santo remédio.

5- Datilografe

 Essa é uma delícia. Compre uma máquina de datilografar (tem muitas por ai ainda).

Coloque-a onde ficava o seu computador. Arrume a fita de tinta, e coloque o papel.

Pronto agora mão a obra. Escreva um diário. O que você achou dos livros que esta lendo, comece o seu livro, escreva os seus poemas. A máquina diferentemente do PC só te deixa ocupada com uma coisa. Ela não tem janelas, rede social, nem mesmo bateria. É simples, sente-se e escreva.

6- Caminhe só

 É claro, nada de caminhar à noite por lugares suspeitos e vazios. Escolha lugares movimentados, dê preferência ao dia e a lugares seguros. Mas ande por ai. Bosques, praças, praias, vizinhança e muitos outros lugares estão ai, paradinhos o ano todo esperando que a gente dê uma passada por eles. Leve no máximo uma máquina fotográfica. Nada de outros Gadgets. Depois imprima as fotos que você tirou, ou revele, se a sua máquina usa filme fotográfico. A essa altura não importa o tempo que você gastou o importante aqui é usar esse momento em que a angústia do tempo perdido te incomoda menos e pensar na vida. Enquanto caminha tente responder a pergunta: Eu sei o que estou fazendo com a vida que me foi dada? Eu garanto que vai te consumir um tempão, mas pelo menos esse tempo será bem aproveitado.

7- Ouça uma discografia completa da sua banda preferida

Algumas bandas têm discografias mais longas que outras, talvez a banda do seu gosto só tenha um álbum lançado ou talvez tenha vinte. Mas não importa, coloque o CD player pra rodar, ou o Ipod, ou o seu aparelho de MP3, coloque os fones de ouvido e deixe a musica te envolver. Ah, e detalhe, não cante junto. Deixe a musica falar com você. Fique na boa só ouvindo. Ai quando alguém te perguntar se você conhece tal banda, você vai poder dizer orgulhosamente que já ouviu todas as musicas dela. Não se atreva a ouvir no ônibus, nem enquanto caminha. Ouça em casa.

8- Fique sem falar

Essa é a mais difícil. Faça um voto de silêncio. Mas não faça trapaças é terminantemente proibido escrever ou usar LIBRAS, a não ser em extrema urgência, como por exemplo, se alguém passar mal na sua frente ou você precisar de ajuda. Converse com sua família antes e os avise. Se você mora sozinho avise aos que constantemente te ligam. Pode parecer fácil no começo mas à medida que o tempo passa vai ficando extremamente complicado, porque falamos tanto que o ato de falar é automático. Na primeira vez em que fizer o desejo de falar será como o desejo de respirar depois de prender a respiração por um tempo. Mas será de grande valia para avaliar o seu tempo e aproveitá-lo. Já que você não vai falar, vai passar o tempo todo ouvindo e pensando no que ouviu, até descobrir a sua verdadeira voz, aquela que nem mesmo você ouve de tanto que fala. Se der vontade de chorar que chore, mas não dê um pio. Sua audição ficara mais acurada à medida que fizer isso, e é aqui que as nossas angústias começam a nos abandonar. 24 horas é um bom período pra começar.

9- Fotos

 Tire uma foto por dia, mas não as poste em nenhuma rede social. De Mês em mês revele-as, coloque a data em cada uma e coloque uma legenda. Recomendo uma máquina analógica, mas se você não quer comprar uma analógica tudo bem em usar a sua digital. Mas lembre-se de revelar. Depois de um ano ou um mês, você é quem sabe, coloque cada uma em ordem cronológica num álbum (faça um com as suas próprias mãos) e se esforce para lembrar o que exatamente você fez naquele dia, antes e depois de ter tirado a foto. Seus neurônios vão agradecer e com certeza o fim do ano ficara mais distante.

10- Converse com a sua mãe e seu pai sobre você e eles

 Nossos pais são os nossos melhores biógrafos. Ainda hoje existem muitas barreiras entre pais e filhos quando o assunto é assunto. Mas sente-se com eles, pergunte das circunstâncias do seu nascimento, como eles se sentiram, como se conheceram, como você cresceu qual foi a sua primeira palavra. Eles tendem a encurtar a conversa resumindo aos pontos principais, mas você tem tempo pra ouvir todos os detalhes. Durante a conversa olhe-os o tempo todo, melhor passe o dia analisando-os, observando como eles fazem as coisas que fazem. Podem parecer sem graça em comparação com os seus amigos, mas eles aproveitaram bem o tempo que dispunham e fizeram algo de útil, a saber: você!

*As opiniões expressas na seção Do Leitor são de responsabilidade do autor do texto e não refletem a opinião da Revista 21.


Author: Revista 21

Somos uma revista feita por gente que nem você para gente que nem você. Somos jovens de espírito, cheias de amor no coração e ideias na cabeça. Aqui você vai encontrar coisas úteis, divertidas e que venham agregar algo à sua vida! Entre, a casa é sua!

Share This Post On

1 Comment

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>