Como se organizar financeiramente (Manual para endividados)

8365143838_0a83fb2b4e_z_large

 Imagem: WeHeartIt by Melina Souza

Posso afirmar com certeza que a maioria das pessoas que eu conheço – e as que eu não conheço também – são super desorganizadas. Culpam a falta de tempo, os vários compromissos, as milhões de coisas pra fazer. O que essas pessoas não sabem é que quando priorizamos a organização, tudo na nossa vida flui melhor: sobra tempo, os compromissos são cumpridos sem deveras esforços e as milhões de coisas pra fazer reduzem-se à uma ou duas cotidianas, já que as outras tarefas foram realizadas previamente.

Quando pensamos na vida financeira de uma pessoa desorganizada, então, a coisa fica ainda mais feia. São diversas compras sem sentido, falta de controle, dívidas enormes e uma bagunça infinita de papeis de contas antigas e recentes. A cada compra realizada, muitos de nós se permite esquecer que cada centavo ali investido não deu num pé de acerola e acaba “comprando por comprar”. Quantas coisas legais você já deixou de lado por falta de grana? Quantos lugares bonitos deixou de conhecer? Quantos projetos ficaram só no papel? Organização financeira vai muito além de juntar moedas num porquinho.

Pensando nisso, trouxe algumas dicas de controle financeiro que estão me ajudando muito no momento. Espero que ajudem outros endividados a se organizarem melhor em tempos caóticos para o bolso.

O extraordinário é demais – Se sua vida financeira está de pernas pro ar, não há a mínima necessidade de você mergulhar ainda mais num mar de dívidas. Reconheça que suas finanças estão desorganizadas e tenha consciência de que endividados não podem se dar ao luxo de extravasar.

Compre somente o necessário – Com certeza seu guarda-roupas deve estar cheio de roupas e sapatos que você nunca usou. Digo com propriedade porque já estive nesta situação várias vezes e não me sinto nem um pouco orgulhosa disso. Se determinado produto não é indispensável para a sua sobrevivência, deixe-o na loja. O supérfluo, para um endividado, nunca é necessário.

Anote todos os seus gastos – Essa é uma prática que traz ótimos resultados. Sempre que você faz uma compra e não anota, termina esquecendo. Isso é um perigo pra quem está endividado, porque você nunca sabe para onde seu dinheiro está indo, com o que está gastando e se ainda o terá quando realmente precisar.

Sempre dê prioridade às despesas fixas – Responsabilidades em primeiro lugar. Minha dica é: Reserve, antes de mais nada, o necessário para despesas como água, luz, telefone (se morar sozinho ou ajudar em casa), plano de saúde, faculdade e outras contas que não podem esperar. Essas são despesas primárias e fixas. O não pagamento delas podem acarretar problemas muito maiores do que o nome no SPC.

Use o cartão de crédito com consciência – Quando o cartão de crédito foi inventado, acredito que o slogan principal era: Use quando necessário. Sou estudante de publicidade e sei que, hoje em dia, os desejos e necessidades das pessoas se entrelaçam a ponto delas não saberem distingui-los. Pois bem, agora todo mundo usa o cartão de crédito pra almoçar um Big Mac por dia e diz ser necessário. Não, não é. Saiba quais as suas necessidades e quais os seus desejos e deixe para usar o cartão de crédito na compra de um PF.

Prefira fazer compras à vista – Se é pra comprar um Big Mac, que seja com dinheiro de papel, não de plástico, entende? É sempre melhor comprar com dinheiro vivo, só desta forma você terá consciência de quanto está gastando. Todas as vezes que eu faço uma compra à vista, morro de pena, é fato, mas o alívio de saber que não passarei o resto da vida pagando aquele produto dá uma felicidade extraplanetária. Experimente!

Negocie suas dívidas antigas – Se o descontrole já ultrapassou todos os níveis e o Serasa te pegou, negocie sua dívida. Muito provavelmente a financeira que detém a dívida vai te cobrar juros absurdos, por isso é sempre bom você procurar ajuda de alguém ou algum órgão que entende de negociação a fim de fazer o pagamento de forma justa. Quando tudo estiver acordado, dê prioridade a esta despesa, juntando-a com as maior responsabilidade.

Depois de colocar a vida financeira em ordem, a dúvida que fica é: Já negociei, já paguei, já estou recebendo as novas contas. Como organizar tudo isso agora? Então, a Dani Guedes, editora aqui da Revista 21, fez uma matéria super legal sobre como organizar as contas, literalmente falando.

Se joga nas dicas e vê se não deixa de curtir aquela semana inteira na praia, nas próximas férias, por falta de grana.


Author: Mariany Gomes

Share This Post On

2 Comments

  1. ola, estou,na estrada da vida e nao consigo me organizar financeiramente estou endividado e nao consigo limpar o meu nome montei uma empresa nao deu certo ja tentei farias coisas e dao tudo errado peço ajuda

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Leituras para mudar #9 | No meu fichário - […] Como se organizar financeiramente (Manual para endividados) - Revista 21. Escrito para mim! Nem é, nem sou tão endividada assim, …

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>